TORNA-TE QUEM TU ÉS!

Se você não crê em deus, de onde vem então seu senso de moralidade?



Já ouvi com freqüência essa pergunta, e sempre me questiono de onde tiraram a lógica para elaborá-la. O senso de moralidade do deus bíblico é questionável (o dos outros também). Existem varias passagens neste livro cuja intensidade da violência desse ser nos faz duvidar profundamente não só de suas boas intenções ou maturidade, mas também de sua sanidade. Deuses não inventaram a ética, eles próprios foram inventados para difundir um pensamento ético de época.

O senso da moralidade humana vem do mesmo lugar de onde vem o dos deuses, vem das culturas primitivas que necessitavam criar leis para o convívio social. Criando um deus moralista, eles buscavam refrear a violência das populações e acalmar seus instintos, bem como perpetuar o poder de alguns.



Vejamos o caso de Moises, que evidentemente é mítico. Para impor suas idéias, ele se isolou e depois voltou com “ordenamentos divinos” se dizendo o escolhido. Por que esse deus simplesmente não apareceu no céu e ditou calmamente seus desígnios para todo o povo? Então deuses precisam de escolhidos? Como acreditar num homem que diz que falou com um deus, que é seu escolhido e que todos devem segui-lo sem questionar? Moises levou uma moralidade religiosa específica para o seu povo. O separou do povo egípcio de uma maneira não só física, mas ideológica. Os egípcios eram muito promíscuos, e o povo judeu havia adquirido hábitos alheios a sua cultura, as relações homossexuais eram normais.

Moises separando os judeus dos egípcios proibiu esse tipo de relação, atribuindo essa ordem a um deus, e a partir daí surgiu o preconceito que vemos hoje em dia. Sua fundamentação é pura e simplesmente religiosa e vem de uma moralidade machista de época. O mesmo se aplica as mulheres. Dizer que o homem é superior as mulheres e que elas devem servi-lo é clássico de sociedades machistas com deuses antropomorfos e masculinizados.



Deuses moralistas representam o superego, a censura, são um freio para o egoísmo das vontades. Nenhuma moralidade veio de deuses, a ética vem do próprio ser humano, assim como a invenção daqueles que seriam seus guardiães, os deuses.
O equivocado senso comum perpetua a idéia dogmática de que um deus bondoso e preocupado com a sua criação teria finalmente feito contato com a humanidade através de um escolhido, podendo assim, transmitir suas leis, ordenamentos, vontades, conselhos, etc. Essas narrativas evidentemente são lendas. Invertamos o raciocínio, imagine que alguns homens de aguçado senso moral e ético, ou sede de poder, viviam numa época selvagem, e por esse fato, não tinham como impor suas idéias a população, a partir daí criaram uma entidade mística que poderia facilitar a transmissão dessa moral. Assim as pessoas passariam a seguir regras de conduta que melhoraria o convívio social.



Alguns veriam nessa idéia um grande filão para o lucro fácil e o controle de multidões. Hoje em dia, a moral deturpada demonstra que deuses nada mais são que um bom motivo para pastores enriquecerem e padres bolinarem crianças. Deuses fazem seres humanos se matarem, explodirem bombas, degolarem pessoas e extirparem o clitóris de meninas, dentre outras selvagerias.

O senso de moralidade do ser humano claramente foi se desenvolvendo gradativamente com o passar dos séculos. Até hoje em dia continua assim. O ser humano percebeu naturalmente que deveria haver um contrato social que possibilitasse uma harmonia no convívio. Ele percebeu que poderia criar regras que estabeleceria sua segurança física e patrimonial e que a reciprocidade desse acordo organizaria a sociedade. Não foi necessário um deus castrador aparecer do nada para colocar cabresto na selvageria humana.



2 comentários:

Rachel Lima disse...

Muito bom! Somos animais que, por ventura, desenvolvemos uma certa capacidade mental que é demais para nós mesmos. Venho lendo alguns dos seus posts lá na comunidade do orkut (Cogito, ergo sum) e devo dizer que admiro sua opinião. Mesmo. Não sei se é um elogio que vale muita coisa, mas está aí! haha. Abraços,

Dylan W. disse...

Obg. Nem sempre somos entendidos. Algumas ideias sao ate reprimidas...ja estou acostumado. Fique a vontade para opiniar la na comunidade. :)