TORNA-TE QUEM TU ÉS!

Nossa bolha.

Tudo o que nasce morre.
O universo é infinito.
Tudo o que é infinito não tem fim.
Se não tem fim, não nasceu, pois se tivesse nascido teria um fim.
Se não nasceu, ou não existe ou sempre existiu
Como sabemos que o universo existe, então ele sempre existiu.


Porém a teoria do multiverso derruba o paralogístico (talvez) silogismo acima, afirmando que o universo como conhecemos (o nosso) teve um inicio e terá um fim. Pois cada universo faz parte de um conjunto composto por vários. Como uma imensa bolha de sabão flutuando dentre um numero infinito de outras. O espaço onde essas bolhas flutuam seria sim infinito, e sempre existiu.


Mas isso pode ser refutado de uma forma bem mais simples sem que precisássemos falar na teoria das cordas ou teoria M, ou qualquer outra coisa. Bastaria dizer que uma dízima periódica tem um inicio, mas não tem um fim.


Porém, ai viria outro “porém” o universo teria um fim, mas... o “oceano” onde a “bolha universal” estaria boiando, não.
O jornalista e um cirurgião da história. (isso me veio a cabeça agora e decidi postar.